fbpx

Ingurgitamento Mamário: saiba mais sobre o empedramento do leite

Publicado por Doula Brasil em

ingurgitamento mamário

Ingurgitamento mamário: saiba mais sobre o leite empedrado

ingurgitamento mamário

O ingurgitamento mamário é uma das intercorrências mais comuns de acontecer na amamentação, caracterizado pela retenção e acúmulo de leite nas mamas. Nessa situação, o leite acumulado fica mais viscoso por conta de transformações moleculares – recebendo, assim, a denominação de “leite empedrado”. O ingurgitamento mamário é uma complicação mais comum de ocorrer nos primeiros dias de vida do bebê; no entanto, ela pode acontecer em qualquer fase da amamentação.

A principal razão para a ocorrência do ingurgitamento mamário é o uso de técnicas incorretas de amamentação, seja em relação à pega da mama ou à posição do bebê. No entanto, existem outras causas, como o início tardio do processo de amamentação, mamadas infrequentes, uso de suplementos e sucção ineficaz do bebê. Todas essas situações causam o acúmulo do leite materno nos alvéolos, levando à obstrução (bloqueio) do fluxo do leite e, consequentemente, ao seu empedramento.

Os sintomas dessa complicação são variados e divididos de acordo com os tipos de ingurgitamento mamário:

● Ingurgitamento fisiológico

É o mais comum de acontecer entre as mamães, principalmente na primeira semana de vida do bebê. Nesse tipo de ingurgitamento, há a ocorrência de inchaço e sensação de peso nas mamas, causando um incômodo mínimo à mulher. Entretanto, não é um caso que necessite intervenção médica, pois não impede a descida do leite.

Ilustração de ingurgitamento mamário

● Ingurgitamento patológico

É um caso mais grave de ingurgitamento, pois ocorre a distensão excessiva dos tecidos mamários. Logo, provoca bastante dor à mãe, podendo ser acompanhada também de febre e mal-estar. Já as mamas costumam ficar avermelhadas e edemaciadas (com acúmulo de leite), com os mamilos endurecidos e achatados. E consequentemente, o leite materno não consegue fluir com facilidade.

Imagem ilustrativa de ingurgitamento materno

● Como tratar o ingurgitamento mamário

O tratamento mais recomendado para a complicação é a ordenha manual antes das mamadas, para que as mamas fiquem macias, assim facilitando a pega adequada do bebê. O esvaziamento das mamas com a ordenha é essencial para diminuir a dor sentida e a pressão dentro dos alvéolos, visando não comprometer a produção de leite.

Massagens circulares nas mamas (começando do centro para suas extremidades) e o uso de suporte para mamas com alças largas e firmes também são práticas bastante recomendadas para as mães, por aliviarem consideravelmente a dor. Para além, a amamentação por livre demanda – ou seja, sempre que o bebê desejar – também é super importante em casos de ingurgitamento, pois ajudam a drenar as mamas com maior frequência e eficácia.

Imagem ilustrativa

Dessa forma, é importante que todas as mamães tenham uma experiência saudável e feliz durante o processo de amamentação. Por isso, a Doula Brasil forma excelentes profissionais, no curso de Consultoria em Amamentação, capazes de de auxiliar no aleitamento materno. Assim, visamos ajudar e apoiar todas as mulheres que estão passando por esse incrível momento.

Se interessou pelo assunto?

Se profissionalize e/ou tenha o acompanhamento de uma consultora